sexta-feira, 18 de junho de 2010

Prós e contras da Maquiagem Mineral




Vale lembrar que essa tendência de maquiagem é nova, mas esses “minerais” dos quais se falam hoje, já eram usados desde a década de 70, em composição de pós e bases, como o óxido de zinco e dióxido de titânio. Hoje em dia ainda são usados para alguns protetores solares.

Outra coisa que gosto de destacar para minhas pacientes é que não existe uma porcentagem específica de “mineral” para um produto ser rotulado de “maquiagem mineral”. Assim, muitas marcas que se dizem “minerais”, na realidade não são 100% feitas desses compostos de minerais.

Eles podem ser classificadas como tal, mas ter alguma porcentagem de substâncias químicas, principalmente aquelas maquiagens que têm cores que fogem dos tons derivados da cor de pele (marrom e bege), amarelo e preto. Seriam as que utilizam apenas 90% de minerais e outros 10% de produtos convencionais para conseguir inúmeros tons diferentes de sombra e blush.

Esses minerais vindos naturalmente da terra (isto é, feitos a partir de substâncias extraídas diretamente do solo) são principalmente o óxido de zinco, óxido de ferro, dióxido de titânio e mica. Esses recebem um tratamento, no qual são basicamente moídos e transformados em partículas minúsculas e soltinhas, que são formadores de base, pó compacto e corretivo.

Seus benefícios para a nossa beleza são:

• Proteção solar física;

• Ação anti-inflamatória natural;

• Propriedades calmantes;

• Tornam-se “corantes” naturais dando cores para a maquiagem;

• Maior prazo de validade, pois duram mais tempo que os cosméticos tradicionais (ao invés de média de 6 meses, podem durar mais de 2 anos se em condições adequadas);

• Não contêm substâncias sintéticas (“química”) como conservantes, preservativos, óleo, essências/fragrâncias ou corantes que podem ser prejudiciais às peles sensíveis;

• Tendem a não irritar nem as peles mais sensíveis, mas nunca podemos falar em risco nulo de irritação, pois estamos falando em um produto estranho ao corpo;

• Não possibilita grande cobertura, assim a maquiagem mineral não obstrui os poros, o que é muito bom para as peles oleosas e que tem a tendência para formar cravos. Mas isso não te desobriga a retirar toda a maquiagem antes de dormir;

• Podem diminuir a oleosidade da pele, sem ressecar, pois as partículas “agarram” a oleosidade. Minimizam então o brilho excessivo enquanto estiver de uso da maquiagem;

• Fácil de ser removida, com demaquilantes específicos para cada tipo de pele;

• Tem como resultado uma pele natural e de aparência saudável;

• Por todas essas qualidades elas podem ser sugeridas para todas as pessoas, principalmente as com peles sensíveis, com acne, rosácea e para pacientes que estão realizando procedimentos com lasers e peelings.

Contras

• Sempre considerar risco de irritação da pele, mesmo sendo 100% mineral. Então cuidado com as peles com acne, rosácea, extremamente alérgica a outros cosméticos;

• A sua pele tem que estar bem tratada, pois como sua cobertura é mais superficial do que carregada, não espere grandes truques;

• Caso se deseje uma cobertura mais intensa, o melhor a fazer é misturar um pouco do pó da base mineral com água. E isso pode ser trabalhoso para algumas usuárias;

• Se a maquiagem não for de qualidade e tiver o material com o pó mais grosseiro, irá acentuar as ruguinhas. Assim uma maquiagem ser natural, não significa obrigatoriamente ser de qualidade;

• Mesmo de boa qualidade de pó, em áreas de formação de ruguinhas (como a área dos “pés-de-galinha”), não usar em excesso, pois vai acentuar as indesejadas;

• Justamente por não ter substâncias químicas, não espere hidratação da pele. Além de ser muito indicado para peles oleosas, não considere que nenhuma maquiagem irá acabar com sua oleosidade;

• Nem toda maquiagem tem qualidade igual, varia de acordo com a marca;

• Os maquiadores sugerem usar pincéis para aplicá-la e isso pode atrapalhar quem não tem intimidade com esses utensílios de beleza. Eles sugerem aplicá-la sempre com movimentos circulares e suaves por toda a área que deseja cobrir;

• Ela serve principalmente para o uso do dia-a-dia. Por não possibilitar grande cobertura na pele, não seria o ideal para aquela super produção para uma festa, por exemplo;

• Dependendo da marca, também há o problema que ela não espalha da mesma maneira que a convencional

Resumindo

Acredito que a grande vantagem é que temos mais uma opção dentre um espectro de tipos de maquiagens. Recomendo sim, mas sempre com cautela. Não por ser “mineral”, mas por ser qualquer produto estranho ao nosso corpo. Teria a mesma cautela com as maquiagens convencionais.

Faz menos mal para as peles pré-dispostas do que os outros ativos convencionais. O que não quer dizer que os ativos convencionais estão em queda no mercado ou são desaconselhados, muito pelo contrário, as empresas estão é se preocupando mais com as pele sensíveis atuais ou futuras. Além também de aproveitarem o grande apelo de marketing ecológico (“vem da natureza”) que vem junto com essa novidade relativamente recente.

O mais importante é que a sua maquiagem seja específica para sua pele (grau de oleosidade, grau de hidratação, idade, presença de rugas), não irritativa, de fácil remoção e de boa qualidade.

Outro cuidado importante que sempre oriento minhas pacientes é de sempre passar sua protetor solar antes da maquiagem, mesmo ela tenha certo grau de proteção solar. Existem hoje no mercado protetores solares faciais com tecnologia nova que oferece o dia todo de proteção ao paciente, sem precisar reaplicar.

Podemos sim aproveitar essa proteção solar da maquiagem, mas como proteção coadjuvante, não como a principal. A fotoproteção de qualidade é essencial para nossa pele, por isso, vamos usar o produto que foi feito especificamente para isso.

Dra Gisele Barbosa, Dermatologia Estética
postado em http://www.melhoramiga.com.br/2010/06/pros-e-contras-a-maquiagem-mineral

Nenhum comentário:

Postar um comentário